Aeroporto de Lisboa pode chegar a 46 movimentos por hora antes da abertura do Montijo

14-03-2018 (17h22)

A capacidade do Aeroporto de Lisboa pode aumentar dos actuais 38/40 para 46 movimentos por hora antes da abertura do Montijo, assim que estejam reunidas várias condições, entre as quais um acordo entre a NAV e a Força Aérea.

O aumento de movimentos em Lisboa é possível através de novos mecanismos de aproximação a Lisboa, acordos com a Força Aérea e respostas da ANA, afirmou o presidente da NAV, Jorge Ponce de Leão, à margem da cerimónia de adesão ao consórcio Coopans, que prevê a aquisição de um novo sistema de gestão do espaço aéreo.

Ponce de Leão sublinhou que o novo sistema é “um passo importantíssimo em termos estruturais”, mas “a curto prazo é ainda mais importante o redesenho do espaço aéreo de Lisboa e a oportunidade de celebrar um acordo com a Força Aérea, introduzindo restrições mais flexíveis” para garantir um aumento de movimentos “ainda antes do aeroporto do Montijo estar disponível e dos novos sistemas [de gestão do espaço aéreo] Topsky estar operacional”.

Questionado sobre prazos para um acordo com os militares, o dirigente da entidade gestora do espaço aéreo respondeu esperar “para tão breve quanto possível” e que a NAV “está a trabalhar muito bem com a Força Aérea”.

“Iremos procurar acelerar esse processo até porque há um conjunto de rotas estratégicas para o país, que gostaríamos de criar condições para que pudessem operar, através de uma disciplina integrada da gestão do espaço aéreo para as bases militares do Montijo, Sintra, e inclusivamente com o aeródromo de Cascais, em conjunto com a Portela”, afirmou Ponce de Leão.

A área mais difícil nesta estratégia é o “corredor a nascente da área de restrição de Monte Real”, pelo que ficam sem efeito os 72 movimentos por hora já testados, com o actual sistema e “com controladores e pilotos em simulação em tempo real”.

“Esse corredor, não podendo ser utilizado, num curto prazo, apenas significa seis movimentos. A limitação vai estar no aeroporto e nas alterações a introduzir no aeroporto da Portela para agilizar o aumento do número de movimentos por hora”, explicou o presidente da NAV.

O dirigente lembrou que actualmente o aeroporto regista uma média de “38 movimentos por hora, com um máximo de 40, e poderá chegar a uma média superior, com um máximo de 46, como estava previsto”.

Para “finais de 2019” está previsto a entrada em funcionamento do novo sistema de gestão do espaço aéreo, em simultâneo com o actual, enquanto o redesenho do espaço aéreo, que passa por novos mecanismos de aproximação de Lisboa, poderá levar “um ano e meio a dois anos”.

Dados de tráfego a que o PressTUR teve acesso indicam que o Aeroporto de Lisboa somou 3,768 milhões de passageiros nos primeiros dois meses deste ano, o equivale a 58,8% do total dos aeroportos portugueses neste período, quando há um ano estava com 56,6% (clique para ler: Aeroportos portugueses somam 6,4 milhões de passageiros no primeiro bimestre).

(PressTUR com Agência Lusa)

 

Ver também:

NAV e ANA estudam localização de nova torre de controlo no Aeroporto de Lisboa

NAV oficializa evolução para novo sistema de gestão do espaço aéreo

 

 

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Governo açoriano reforça capital social da SATA Air Açores em 27 milhões de euros

16-07-2018 (16h31)

O Governo dos Açores anunciou hoje um reforço em 27 milhões de euros do capital social da SATA Air Açores, companhia aérea que assegura as ligações aéreas entre as nove ilhas açorianas, "por via da subscrição de 5.400.000 novas ações".

Lufthansa “refuta falsas alegações da Ryanair” sobre a LaudaMotion

16-07-2018 (15h28)

O Grupo Lufthansa afirmou que “são completamente infundadas” as alegações da Ryanair de que a LaudaMotion está sobre ameaça do grupo alemão, “que tenta retirar as nove aeronaves que se viu forçada a ceder à Laudamotion pela Comissão Europeia para lhe permitir reiniciar os seus serviços”.

Grupo SATA encerra contas de 2017 com prejuízos de 41 milhões de euros

16-07-2018 (13h32)

O Grupo SATA encerrou as contas de 2017 com prejuízos de 41 milhões de euros, valor que quase triplicou em relação a 2016 (14 milhões), revela o relatório e contas da companhia, a que a Lusa teve acesso.

António Teixeira é o novo presidente do conselho de administração da SATA

16-07-2018 (11h28)

O Governo dos Açores anunciou a escolha do gestor de empresas António Luís Gusmão Teixeira para a presidência do conselho de administração da SATA, substituindo Paulo Menezes, que ocupa o cargo desde o final de 2015.

TACV Cabo Verde Airlines prevê receber hoje mais um avião

16-07-2018 (11h19)

A companhia aérea TACV Cabo Verde Airlines, que no Sábado recebeu o seu primeiro avião Boeing 757, tem previsto receber hoje, segunda-feira, mais uma aeronave e assim “retomar a estabilidade operacional”.