Aeroporto de Lisboa foi o 6º pior do mundo em pontualidade no mês de Junho

12-07-2018 (14h39)

Nem 40% dos voos partiram até 15 minutos da hora prevista

Apenas 38,3% dos voos que partiram do Aeroporto de Lisboa durante o mês de Junho fizeram-no até 15 minutos da hora prevista, indicou a OAG, cujo ranking de pontualidade coloca o aeroporto da capital portuguesa como 6º pior entre 1.193.

A informação mostra o Porto também entre os 50 piores em Junho e também com menos de metade dos voos à hora, ou seja, até 15 minutos da hora de partida anunciada, com 48,6%.

Os dois maiores aeroportos portugueses foram assim os piores em pontualidade no mês de Junho, seguidos por Faro com o 1.094º pior índice de pontualidade, mas já com mais de metade dos voos a partirem até 15 minutos da hora anunciada, com 58%.

Ainda entre os mil piores do mês de Junho incluídos no ranking da OAG estiveram Funchal, em 1.087º, com um índice de pontualidade de 58,5%, Horta, em 1.059º, mas já acima da marca dos 60% dos voos à hora, com 60,5%, e, depois, Ponta Delgada, em 1.024º com 62,9%.

O melhor aeroporto português em pontualidade no mês de Junho foi assim o único que não é parte da ANA/Vinci, o Aeroporto da Terceira, em 761º, com um índice de pontualidade de 74,4%.

Os melhores do mundo em pontualidade no mês de Junho foram os pequenos aeroportos de Sapporo Okadama, Japão, com 96,2% dos voos à hora, seguido por Ciudad Juarez, com 96,1%, e Hanakami, Japão, com 96%.

Entre os maiores aeroportos, o melhor em pontualidade foi o russo Moscovo Sheremetyevo, 45º do mundo em número de voos, com um índice de pontualidade de 92,8%, que foi o 43º melhor do mês.

O maior aeroporto do mundo em número de voos no mês de Junho foi Chicago O’Hare, com 38.493, seguido por Atlanta Hartsfield-jackson, com 37.775, Los Angeles International, com 28.134, e Dallas/Fort Worth, com 28,118, todos nos Estados Unidos, seguidos por Beijing Capital, China, com 68,6%.

Em pontualidade, o melhor destes cinco maiores foi Los Angeles, com 80,1% das partidas até 15 minutos da hora anunciada, seguido por Dallas/Fort Worth, com 73,6%, Atlanta Hartsfield, com 73,4%, Beijing Capital, com 68,6%, e Chicago O’Hare, com 68,4%, que teve simultaneamente o pior índice de cancelamentos do Top5, com 3,8%, seguido por Beijing Capital com 3%, e Dallas Fort Worth, com 1,7%.

Lisboa, por sua vez, teve 1,9% de cancelamentos, o Porto teve 2,2%, Faro teve 0,6%, o Funchal teve 1,8%, Ponta Delgada teve 1,4%, Terceira teve 0,4% e Horta teve 1,7%.

 

Ver também:

TAP teve em Junho 4º pior índice de pontualidade da OAG


Para ler mais notícias: OAG

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Aeroportos portugueses

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

easyJet lança nova rota de Verão Porto – Málaga

21-02-2019 (09h56)

A companhia de aviação easyJet anunciou que vai voar entre Porto e Málaga de 2 de Abril a 26 de Outubro, quatro vezes por semana, em A320.

TAP recebe segundo Airbus A320neo

20-02-2019 (18h22)

A TAP comunicou hoje que já recebeu o segundo novo Airbus A320neo, com a matrícula CS-TSB, da encomenda de 71 aviões ao fabricante europeu que conta receber até 2025.

Banco de Portugal contabiliza recorde de exportações de transporte aéreo de passageiros em 2018

20-02-2019 (14h07)

O Banco de Portugal contabilizou 3,56 mil milhões de euros de exportações portuguesas de transporte aéreo de passageiros em 2018, que constitui um novo recorde anual, +6,8% ou mais 226,4 milhões que em 2017.

Grupo Air France KLM factura mais mas lucra menos em 2018

20-02-2019 (11h36)

O grupo de aviação Air France KLM, que reclama ser o maior da Europa em voos de longo curso, revelou hoje que em 2018 teve um aumento da receitas de transporte de passageiros em 1,6% (+4,1% sem flutuações cambiais), atingindo 22,9 mil milhões de euros, mas o seu resultado operacional caiu 382 milhões, para 994 milhões.

Governo britânico alarga zona de exclusão de drones junto de aeroportos para cinco quilómetros

20-02-2019 (11h29)

O governo britânico decretou o alargamento da zona de exclusão aérea para drones (aparelhos aéreos não tripulados) junto de aeroportos britânicos de um para cinco quilómetros, anunciou hoje o Ministério dos Transportes.