Aposta da TAP é “consolidar e crescer nas apostas que estão a ser mais bem-sucedidas”

13-08-2019 (18h47)

A TAP anunciou hoje um conjunto de alterações da sua rede, incluindo reforço e cessação de rotas, cuja lógica anunciada é, na época alta do próximo ano, “consolidar e crescer nas apostas que estão a ser mais bem-sucedidas”.

“Com uma frota mais moderna e confortável no próximo ano, com todas as aeronaves do Longo Curso com interiores novos ou renovados e com uma frota de A321LR quatro vezes maior do que em 2019, a TAP continuará a investir na sua operação e são muitas as novidades previstas já para o Verão do próximo ano”, sustenta a companhia em comunicado cuja primeira novidade é que “Aposta nos EUA continua”.

O comunicado especifica que a companhia terá quatro voos por dia para Nova Iorque, com dois voos por dia entre Lisboa e Nova Iorque JFK, o voo Lisboa -Newark e também o Porto - Newark, “que passa a ser diário”.

A companhia acrescenta que ainda para o mercado dos Estados Unidos terá mais três voos por semana para Miami, chegando a dez por semana, e Washington (para ler mais clique: TAP já voa para Washington – Dulles) e Chicago (para ler mais clique: TAP inaugura rota de Chicago com voo em A330-200), linhas inauguradas este Junho, passarão a ter voos diários.

Outras novidades no longo curso anunciadas hoje pela TAP são que a companhia “continua também a investir no Brasil, com voos no novo A321LR e com frequências reforçadas para as cidades de Natal e de Belém, crescendo de três para cinco voos por semana para cada um dos destinos”, vai passar a ter quatro voos por semana do Porto para São Paulo e que vai ter aviões “mais modernos, eficientes e confortáveis” para voar entre Lisboa e Luanda e Maputo.

A companhia especifica que serão os A330neo, com os quais passará a voar para Luanda “a partir de Outubro” e para Maputo “até final do ano”.

Em relação ao médio curso, além de voltar a suspender os voos entre o Porto e Barcelona, bem como o Porto - Lyon e ainda os voos de Lisboa para Estugarda, Colónia e Basileia (clique para ler: TAP volta a tirar o Porto - Barcelona, mas aumenta “ligeiramente” frequência de voos na Invicta), a companhia também indica que deixa de operar ligações com London City, que antes, quando lançou a rota, em finais de Outubro de 2017, apontava como “centro financeiro da cidade”.

A TAP justifica esta decisão com as “incertezas de procura por parte dos Clientes, associada ao Brexit, e pelos resultados abaixo do esperado nesse mesmo mercado”, “compensando parcialmente os assentos perdidos com o aumento da capacidade dos aviões à partida de Lisboa e do Porto para os restantes aeroportos londrinos, nos períodos de maior procura”.

Mais novidades no médio curso indicadas pela TAP são, no âmbito do que designa por “Fortalecimento contínuo do Hub em Lisboa”, o início de voos para Santiago de Compostela e o aumento do número de voos para Barcelona, que passam de seis para sete por dia, Bilbau, Valência e Málaga, nos três casos com aumento de dois para três voos diários, e Sevilha, que passa de três para quatro voos diários.

Ainda para o Aeroporto de Lisboa, a TAP anunciou que “também Casablanca, a maior cidade de Marrocos, contará com mais uma frequência diária à saída de Lisboa, melhorando assim a conectividade com a rede intercontinental da TAP” e o reforço da oferta para Telavive.

Nesta rota, que a TAP inaugurou a 31 de Março deste ano (clique para ler: TAP inaugura voos para Telavive, Dublin e Basileia), a companhia diz que “é um sucesso comprovado” e que, por esse motivo “aposta agora em dois voos diários, em vez de apenas um, e ambos com o moderno A321 Long Range, permitindo assim melhor conectividade de Israel com os Estados Unidos e Brasil”.

Outra novidade é que o A321 Long Range é também o avião com que passará a voar de Lisboa para Moscovo, “permitindo corresponder às exigências de conforto dos passageiros que voam para aquele destino”.

Para o Aeroporto do Porto, além da “novíssima ponte aérea” para Madrid, a TAP ‘compensa’ o fim das ligações com Barcelona e com Lyon com o aumento da frequência de voos para o Funchal, que passa a ter “mais um voo diário, a meio do dia, operado no novo Airbus A321neo Long Range” o aumento para voo diário na linha Porto-Newark (EWR) e a quarta frequência semanal Porto-São Paulo.

“Por fim, a Ponte Aérea a jacto para Lisboa ganha mais uma frequência diária em relação ao verão de 2019”, acrescenta o comunicado da TAP que conclui que “com estes ajustes, a TAP aumenta ligeiramente as frequências no Porto em 2020 e assegura o espaço reconquistado nos últimos dois anos”.

 

Clique para mais notícias: TAP

Clique para mais notícias: Aviação

Clique para mais notícias: Portugal

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Aeroportos em todo o mundo tomam precauções contra surto de coronavírus

23-01-2020 (17h34)

Aeroportos à volta do mundo começaram hoje a tomar precauções com o fluxo de turistas chineses que tiram férias pelo Ano Novo Lunar, dado o surto de um novo tipo de coronavírus com origem na China.

Portugal na Fitur a "trabalhar novos mercados", Rita Marques

23-01-2020 (15h31)

“Vamos continuar a trabalhar novos mercados e a estruturar a oferta com novos produtos turísticos”, afirmou Rita Marques, secretária de Estado do Turismo português, na Feira Internacional de Turismo de Madrid (Fitur).

Wamos Air quer captar mais portugueses para os seus voos

23-01-2020 (10h48)

A Wamos Air assina esta quinta-feira um acordo para formalizar a sua representação em Portugal pela ATR, disse ao PressTUR David Blázquez, commercial routes manager, que assume o objectivo de captar mais passageiros no mercado português.

Portugal é destino de 20% das vendas da Tourmundial para a Península Ibérica

23-01-2020 (10h47)

Luis Ortiz de Vallejuelo, director Comercial da Tourmundial, disse ao PressTUR que Portugal “é um produto muito importante”, com um peso de cerca de 20% nas vendas do operador turístico para a Península Ibérica.

Portugal cresce nas vendas da Meliá num ano “extremamente complicado”, Gabriel Escarrer

23-01-2020 (10h45)

Portugal foi um dos mercados que cresceu nas contas da rede hoteleira espanhola Meliá em 2019, um ano “extremamente complicado” por diversos factores, afirmou Gabriel Escarrer Jaume, vice-presidente executivo.

Noticias mais lidas