Amadeus já tem capacidade para processar 75 mil transacções por segundo

11-06-2019 (18h01)

Imagem: Amadeus
Imagem: Amadeus

O recente investimento do Amadeus na tecnologia cloud e sistemas abertos aumentou a sua capacidade de processamento para mais de 75 mil transacções por segundo, revela a tecnológica na resposta a críticas da IATA no Aviation Consumer Protection Advisory Committee (ACPAC) acerca da dificuldade de penetração da tecnologia NDC.

A empresa destaca que desde 2015 já investiu mais de três mil milhões de euros em investigação e desenvolvimento, equivalendo a 16% das suas receitas anuais, tendo atingido os 18% em 2018, o que lhe confere o estatuto de segundo maior investidor em investigação e desenvolvimento europeu no sector de Software e Serviços.

A empresa também contesta a acusação de que promove a comparação pelo preço dos produtos aéreos, não a negando, antes a afirmando com o argumento de que é o que o mercado pede.

“O Amadeus apoia fortemente a concorrência entre companhias de aviação, para que os consumidores tem escolhas reais e obtenham o melhor valor pelo [seu] dinheiro”, argumenta o Amadeus, que aproveita para retorquir que o facto de a IATA “ser aparentemente contra comparações like-for-like parece inconsistente com o seu papel de associação” de companhias de aviação de todas as dimensões, “muitas das quais dependem de um mercado neutral para competirem pelos seus méritos”.

O Amadeu contesta igualmente que ‘trave’ a distribuição de ancillaries (produtos e serviços complementares), argumentando que já o faz para 120 companhias e que só não faz para aquelas que não o querem ou não têm sistemas capazes de suportar a distribuição indirecta.

Além disso, frisa, ainda que possa viabilizar a distribuição da ancillaries, a verdade é que as agências de viagens não têm os incentivos comerciais para os venderem, acrescentando que estudos recentes mostraram que entre as pequenas companhias de aviação europeias 50% das receitas de ancillaries foram obtidas através de agentes de viagens que tiveram incentivos económicos.

O Amadeus e os outros GDS “têm um papel crucial no eco-sistema da indústria de distribuição de bilhetes de companhias de aviação”, frisa a concluir o documento, que enfatiza que os GDS fornecem às agências de viagens e consumidores “informação isenta e em tempo real sobre centenas de companhias de aviação participantes de uma forma conveniente e de fácil uso para permitir as melhores escolhas para uma jornada específica”.

“Esta utilização de uma apresentação neutral e imparcial — que está no core do modelo dos GDS — aumenta a transparência de produtos e serviços” e garante que os passageiros “podem encontrar as melhores tarifas de um amplo leque de companhias de aviação” e podem combinar as soluções que melhor se adequam às suas necessidades individuais.

A concluir, o Amadeus diz que considera preocupante que uma associação se foque nas relações comerciais dos seus associados, recomendando-lhe que se foque em desenvolver os standards técnicos que efectivamente são necessários e facilitarão a adopção do NDC na data pretendida.

Apesar destas críticas, o Amadeus anuncia que “continuará a colaborar com a IATA nesse trabalho”.

 

Clique para mais notícias: Amadeus

Clique para mais notícias: IATA

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

TAP quadruplica oferta de obrigações para até 200 milhões de euros

14-06-2019 (19h03)

A TAP decidiu multiplicar por quatro o número e valor de obrigações a emitir, no âmbito do empréstimo obrigacionista em curso, passando de 50 milhões de euros para até 200 milhões de euros, foi hoje comunicado ao mercado.

TAP recebe mais três Airbus A330neo e já conta com dez

14-06-2019 (16h58)

A TAP anunciou hoje ter recebido mais três aviões Airbus A330neo e que, assim, já com dez unidades deste avião que diz contribuir “com mais de 24 milhões de euros para a economia portuguesa” e “mais de 600 postos de trabalho para o País”.

Air France altera modelos de aviões que vai usar nos voos de/para Luanda

14-06-2019 (15h14)

A companhia de aviação francesa Air France, que tem voos de Paris para Lisboa e para o Porto, vai passar a voar do seu hub em Paris Charles de Gaulle e Luanda em Airbus A340-300, Boeing B777-200ER e Boeing B787-9, uma vez por semana cada um deles.

Turkish Airlines programa aumentar capacidade para o Vietname no Verão de 2020

14-06-2019 (14h55)

A companhia de aviação turca Turkish Airlines, que tem voos de Lisboa e do Porto para Istambul, tem programado um aumento de capacidade entre o seu hub e os aeroportos vietnamitas de Hanói e Ho Chi Minh City.

Noticias mais lidas