Travelport baixa proveitos por quebras de reservas na Europa e nos Estados Unidos

13-05-2019 (14h48)

Imagem: Travelport
Imagem: Travelport

A tecnológica Travelport, que está em vias de ser adquirida pelas financeiras Siris Capital Group e Evergreen Coast Capital Corporation, teve no primeiro trimestre uma quebra de proveitos em 3% ou cerca de 19,6 milhões de dólares, centrada na Europa e nos Estados Unidos, que eram os seus dois maiores mercados.

O balanço da companhia indica que na Europa a sua Plataforma de Comércio de Viagens teve uma quebra de proveitos em 10% ou 25,5 milhões, a que se somou uma quebra em 13% ou 20,1 milhões nos Estados Unidos.

A Europa manteve-se ainda assim a sua primeira fonte de proveitos, com 218,9 milhões de dólares, mas os Estados Unidos, com 137,6 milhões, caíram para terceira, depois da Ásia e Pacífico, que chegou a 158,6 milhões de dólares, com um aumento em 12% ou 17,1 milhões.

Igualmente em alta evoluíram as receitas nas regiões América Latina e Canadá, com uma subida em 11% ou 3,2 milhões de dólares, para 33,1 milhões, e Médio Oriente e África, com +7% ou mais 5,6 milhões, totalizando 84,7 milhões.

O balanço da Travelport mostra que a quebra de receitas na Europa foi provocada por um decréscimo do número de segmentos em 17%, para 21,39 milhões, o qual foi parcialmente compensado por um aumento em 7% da receita média por segmento, para 10,24 dólares.

Nos Estados Unidos, por sua vez, a quebra do número de segmentos foi em 16%, para 30,44 milhões, e foi parcialmente compensada por uma subida receita média por segmentos em 4%, ficando em 4,52 dólares.

Já na Ásia e Pacífico, o aumento da receita em 12% foi por um aumento em 16% do número de segmentos, atingindo um total de 18,7 milhões, mas uma quebra em 3% da receita média por segmento, que ficou em 8,47 dólares.

Incluindo a sua área de serviços de tecnologia, a Travelport declarou proveitos de 656,5 milhões de dólares no primeiro trimestre, em baixa de 3% ou 21,3 milhões, pela quebra na plataforma de comércio de viagens, a qual, por sua vez, decorre de um decréscimo em 20,2 milhões em reservas aéreas e ‘estagnação’ no que designa por Beyond Air, referindo-se nomeadamente a soluções de pagamentos e reservas de hotelaria e rent-a-car.

A área de soluções para pagamentos, através da eNett, teve um aumento e proveitos de 73,7 milhões para 83,4 milhões de dólares, mas baixaram as reservas de hotéis e rent-a-car.

A Travelport revelou, aliás, que o valor bruto dos produtos e serviços de viagens reservados através da sua plataforma baixou de 23,3 mil milhões de dólares no primeiro trimestre de 2018, que foi o trimestre do ‘pico’ de férias da Páscos, para 21,4 mil milhões no primeiro trimestre deste ano, em que as férias da Páscoa se concentraram em Abril.

Globalmente, segundo a Travelport, o decréscimo do valor bruto de produtos e serviços reservados através da sua plataforma deve-se a uma quebra média do número de segmentos em 7%, as reservas de noites de hotel baixaram 12%, para 15 milhões, e os dias de aluguer de viatura baixaram 4%, para 24 milhões.

De acordo com a empresa, a sua plataforma de comércio de viagens permite fazer reservas em 650 mil unidades hoteleiras, meio milhão das quais são empresas independentes, em mais de 40 mil rent-a-car, em aproximadamente 40 operadoras de cruzeiros e operadores turísticos e em mais de companhias de caminhos de ferro a nível mundial.

A Travelport acrescenta que esse é o conteúdo que proporciona a mais de 65 mil agências de viagens que em conjunto somam mais de 220 mil terminais de reservas online e offline, as quais, por sua vez, atendem milhões clientes a nível mundial.

Para os seus resultados no trimestre, a Travelport indica um aumento do resultado operacional em 12%, para 87,3 milhões de dólares, mas uma quebra do resultado líquido dm 62%, para 22,4 milhões de dólares, nomeadamente pelos aumentos dos encargos com juros em 133%, para 34,7 milhões, e das provisões para resultados, de 3,5 milhões para 28 milhões.

 

Clique para mais notícias: Travelport

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Abreu é agência de viagens nº1 em referências nas redes sociais e notícias em Julho

14-08-2019 (15h15)

A Abreu foi a agência de viagens que registou o maior número de menções nas redes sociais e o maior número de referências em notícias durante o mês de Julho, segundo a empresa de estatísticas de audiências Marktest.

Solférias assina parceria com a UNICEF para ajudar crianças cabo-verdianas

14-08-2019 (11h27)

O operador turístico Solférias estabeleceu uma parceria com a UNICEF para angariar fundos para a nutrição de crianças cabo-verdianas, “para que possam ter condições dignas para um crescimento saudável”.

APG Portugal acrescenta Amaszonas ao seu programa de interline

12-08-2019 (15h21)

A companhia de aviação boliviana Amaszonas, que tem base no Aeroporto Internacional da El Alto, La Paz (LPB), passou a integrar o programa de emissão de bilhetes interline da APG Portugal.

APAVT “aplaude” declaração de serviços mínimos na greve dos motoristas de matérias perigosas

09-08-2019 (12h29)

A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo declarou hoje que “não só aplaude a decisão do Governo relativa à definição dos serviços mínimos, como manifesta a esperança de que esta constitua um padrão de resposta para futuras greves que afectem os Portugueses e, sobretudo, a principal actividade económica do País – o Turismo”.

Insolvência das britânicas Late Rooms e Super Break afecta mais de 50 mil viajantes

06-08-2019 (15h46)

As empresas britânicas Late Rooms e Super Break, do Malvern Group, declararam insolvência, o que deverá afectar mais de 50 mil clientes, a maior parte deles ainda com viagens por iniciar.

Noticias mais lidas