Operadores turísticos online já são 60% dos clientes do Grupo MTS

15-06-2015 (16h20)

Rembert Euling, CEO do Grupo MTS (1)

Os operadores turísticos online já são 60% dos clientes do Grupo MTS, que faz incoming em 60 destinos de 12 países, incluindo Portugal, revelou ao PressTUR o CEO da rede, Rembert Euling, numa entrevista em que falou ainda da promoção turística de Portugal e dos próximos passos da MTS.

Rembert Euling falava ao PressTUR em Malta num evento anual em que a MTS junta as divisões dos 12 países onde está presente com os operadores turísticos seus clientes ( Grupo MTS junta em Malta uma centena de representantes de operadores turísticos).  
O Grupo MTS somou mais de quatro milhões de passageiros em 2014 e um volume de negócios de 600 milhões de euros.

PressTUR: Como está a correr este ano?
Rembert Euling: Estamos muito satisfeitos com o desenvolvimento do negócio e com o desenvolvimento da produção de grupos dinâmicos, que está com um crescimento de dois dígitos em termos de clientes em relação ao ano passado.

PressTUR: E o negócio com os operadores turísticos tradicionais?
Rembert Euling: A operação turística clássica, especialmente do mercado inglês, também está a ganhar uma participação na MTS.

PressTUR: Que produção dinâmica é essa que cresce a dois dígitos?
Rembert Euling: Nós chamamos produção dinâmica àquela produção que distribuimos nas agências de viagens online e nos operadores turísticos online. E para estes operadores turísticos online nós contratamos continuamente novos preços e novos produtos. E estamos muito felizes com este desenvolvimento.

PressTUR: Quanto está a crescer esta área?
Rembert Euling: Está a crescer mais de 20%. E esta foi uma parte da nossa reunião esta manhã [com os directores gerais dos 12 países onde a MTS tem escritórios]. Estamos felizes com todos os resultados, com o nosso sucesso económico. E também com o desenvolvimento tecnológico do grupo.

PressTUR: Os outros produtos estão a evoluir bem?
Rembert Euling: O negócio da gestão clássica de destinos, o negócio de DMC, da MTS Globe, está a desenvolver-se muito bem, especialmente a partir do mercado inglês, com operadores turísticos tradicionais. O que significa que fomos capazes de reestabelecer-nos após à separação do nosso anterior accionista e cliente importante [do mercado alemão].

PressTUR: Mas o principal mercado emissor para o grupo é a Alemanha?
Rembert Euling: Sim, ainda é a Alemanha. Mas, para nós como cluster Alemanha, Suíça e Áustria. Estes três países juntos ainda são nº1 com um pouco mais de 50% da nossa quota, o que é significativamente menos que há três ou quatro anos, quando era 70% este mercado. E depois vem o mercado britânico, com 40%. E 10% é o resto do mercado, que é o Sul da Europa, Leste da Europa e Escandinávia.

PressTUR: Qual é o mais importante em cada mercado entre a produção dinâmica e a tradicional?
Rembert Euling: Do desenvolvimento dos diferentes mercados, estamos a desenvolver muito favoravelmente no mercado inglês. Estamos contentes com o desenvolvimento no mercado inglês, estamos felizes com o desenvolvimento nos mercados do Sul da Europa e pela primeira vez este ano nós integrámos realmente o mercado da Escandinávia. Tiveram boas taxas de crescimento.

PressTUR: Estes mercados que tiveram boas taxas de crescimento foram aumentos do segmento dinâmico, do tradicional ou de ambos?
Rembert Euling: Para nós, os mercados do Sul da Europa só têm negócio dinâmico, a Escandinávia é negócio tradicional, ou seja, operação turística tradicional, e Inglaterra é ambos, tal como a Alemanha, Áustria e Suíça.

PressTUR: A nível global a MTS tem mais clientes no dinâmico ou no tradicional?
Rembert Euling: Tenho muito orgulho em dizer que nós estamos com 60% de produção dinâmica e 40% de produção clássica. O que é muito bom, porque se considerarmos há dez anos, a parte da produção dinâmica estava abaixo de 10%. Então, a maior parte do crescimento da empresa veio da produção dinâmica.

PressTUR: Que leitura faz dessa evolução?
Rembert Euling: Isto apenas significa que a agência se adaptou às tendências do mercado. Temos vindo a adaptar-nos rapidamente, e a adaptar-nos com tecnologia, com gestão de produto, com ‘business intelligence’, com conteúdo não-reservável, como imagens e descrições e todos estes serviços que normalmente uma empresa tradicional de incoming não faz. E é por isto que os operadores turísticos online gostam de trabalhar com a MTS, porque nós temos quotas de mercado altas. E esperamos crescer mais.

PressTUR: E os tradicionais?
Rembert Euling: Nós não descartamos as funções tradicionais das DMC. Porque para as funções tradicionais das DMC, há operadores turísticos na Europa muito interessantes, cuja estratégia é a criação tradicional de pacotes. Estes são os nossos genes, é de onde nós viemos, e de onde nós desenvolvemos para a parte dinâmica. Esta é a razão pela qual ao longo dos anos a parte tradicional ficou mais ou menos estável na MTS. Não cresceu, mas não encolheu. O que cresceu foi a parte dinâmica.

Continua:
MTS em Portugal fez “um trabalho fantástico” de reposicionamento em 2014
Promoção de Portugal anda “mais discreta”. Tem menos necessidade de “awareness”
MTS vai abrir escritório nas Caraíbas em 2016. Parceiros terão que ‘caber’ na cultura do grupo
Destinos de massas para Sol e Praia vai continuar a ser a aposta da MTS

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

CVC ultrapassou os cinco milhões de passageiros embarcados no primeiro semestre

14-08-2018 (17h56)

O grupo brasileiro CVC Corp, que engloba agências de viagens e operadores turísticos e vende viagens de lazer e corporativas, superou no primeiro semestre os cinco milhões de passageiros embarcados, com um aumento em 30,8% em relação ao período homólogo de 2017.

CVC agrega mais uma participada b2b com a compra do consolidador Esferatur

14-08-2018 (16h26)

A brasileira CVC, maior grupo latino americano de organização e comercialização de viagens, anunciou hoje um reforço do seu portefólio de produtos e serviços para o mercado profissional através da aquisição da Esferatur, classificada como um dos maiores consolidadores do mercado brasileiro, com vendas de bilhetes de avião na ordem de 1,8 mil milhões de reais (cerca de 407 milhões de euros).

Lusanova Cruzeiros já vende cruzeiros Star Clippers

08-08-2018 (17h20)

A Lusanova Cruzeiros, que em finais de Julho começou a vender cruzeiros da Carnival Cruise Line, anunciou hoje que também passou a ser agente de vendas da Star Clippers.

Soltrópico lança campanha para férias em Setembro em Cabo Verde, Tunísia e Porto Santo

08-08-2018 (12h58)

A Soltrópico lançou uma campanha de vendas para férias em Setembro em alguns dos seus destinos programados com voos charter, designadamente as ilhas cabo-verdianas do Sal e da Boavista, Monastir, na Tunísia, e Porto Santo.

Operadores marítimo-turísticos dos Açores queixam-se de falta de capacidade na SATA

07-08-2018 (15h08)

A SATA “está a penalizar” a actividade dos operadores marítimo-turísticos, por falta de capacidade para a procura que há nomeadamente para mergulho com jamantas ao largo da ilha de Salta Maria, que empresários locais garantem estar a afirmar-se como alternativa às Maldivas.