Fosun vai injectar quase 500 milhões na Thomas Cook

28-08-2019 (16h44)

Foto: Thomas Cook
Foto: Thomas Cook

O grupo chinês Fosun vai injectar 450 milhões de libras (497 milhões de euros ao câmbio de hoje) na Thomas Cook, ficando com 75% da área de operação turística e 25% da companhia aérea.

O acordo divulgado pela Thomas Cook, que deverá estar concluído no início de Outubro, também prevê que os principais bancos e detentores de títulos depositarão a mesma quantia em dinheiro para as partes opostas do negócio, ou seja, contribuindo com mais 497 milhões de euros para 75% da companhia aérea e até 25% dos negócios de operação turística.

O plano, sujeito a aprovações, resultará numa diluição significativa dos interesses dos accionistas, segundo avançou a Thomas Cook, indicando que o acordo de resgate foi a melhor maneira de garantir o futuro do grupo para todos os interessados.

Em comunicado, a empresa avançou que, num anúncio feito a 12 de Julho, comunicou aos accionistas que poderiam “ter a oportunidade de participar na recapitalização por meio de investimento ao lado da Fosun e converter credores seniores em termos a ser acordados”.

“O Conselho de Administração continua a proceder com base no facto de que uma recapitalização, alcançada com o apoio dos accionistas, é o meio preferido de garantir o futuro do Grupo para todos os seus stakeholders (incluindo clientes, fornecedores e funcionários), enquanto permite simultaneamente que accionistas actuais continuem a manter um investimento na empresa”, salienta esse comunicado.

“No entanto, espera-se que a recapitalização resulte numa diluição significativa dos interesses dos accionistas actuais na companhia aérea do grupo recapitalizada e reorganizada, sujeita a feedback dos credores, dos novos fornecedores de dinheiro e de outras partes interessadas”, conclui a nota de imprensa.

 

Clique para ver mais: Agências&Operadores

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Diamantino Pereira volta ao mercado com empresa de tours e transporte

22-01-2020 (18h00)

O ex-director da Viagens Abreu e da Ávoris em Portugal Diamantino Pereira está de volta ao mercado com uma empresa de tours e transporte, a DP Tours Plus, que quer diferenciar-se pela “qualidade”, garantiu ao PressTUR.

Portugal é “um mercado muito importante” onde a Globalia quer crescer — Javier Hidalgo, CEO

22-01-2020 (14h32)

A Globalia, dona da Air Europa e dos hotéis Be Live, entre outras empresas de turismo, como o operador Travelplan, presente em Portugal, vê o país como um mercado "muito importante" onde ambiciona crescer em várias áreas de negócio, disse ao PressTUR Javier Hidalgo, CEO do grupo.

Agências de viagens portuguesas ‘derrubam’ em 2019 recorde de venda de voos com 11 anos

17-01-2020 (15h56)

As agências de viagens portuguesas superaram em 2019 o recorde da venda de voos contabilizada pelo BSP da IATA que se mantinha há 11 anos e ficaram próximas dos mil milhões de euros, com mais de três milhões de transacções.

Magnet cresceu 25% no mercado espanhol em 2019

17-01-2020 (10h04)

A Magnet, que está a celebrar cinco anos de actividade em Espanha, teve um crescimento de 25% nesse mercado em 2019.

Gabriel Subías regressa ao Grupo Iberostar para liderar W2M

14-01-2020 (13h15)

O Grupo Iberostar nomeou Gabriel Subías, ex-CEO da Ávoris, para liderar o negócio de receptivo e bedbank W2M, substituindo no cargo Christian Kremers, que estava no comando da empresa desde Setembro de 2018.

Noticias mais lidas