APAVT ganha para os Açores o congresso das agências de viagens do maior emissor para Portugal

12-10-2016 (14h10)

Pedro Costa Ferreira, APAVT, com Noel josephides e Mark Tanzer, da ABTA (Foto: APAVT)
Pedro Costa Ferreira, APAVT, com Noel josephides e Mark Tanzer, da ABTA (Foto: APAVT)

Ponta Delgada vai sediar em 2017 um dos mais disputados congressos de agências de viagens do mundo, sucedendo a Abu Dhabi, onde hoje foi anunciada a vitória da candidatura da APAVT, com o apoio do Governo Regional dos Açores, à organização da próxima The Travel Convention.

O Congresso da ABTA é, assim, a segunda grande reunião de agências de viagens dos mercados emissores mais relevantes para Portugal que a APAVT capta para Portugal, depois da reunião magna da associação das agências de viagens alemãs, DRV, em Lisboa em 2014.

A ABTA, que de acordo com o seu website conta com 1.200 membros com vendas conjuntas que ascendem a 33,07 mil milhões de libra (33,55 mil milhões de euros ao câmbio de hoje), vai reunir assim a sua Travel Convention de 2017 em Ponta Delgada nos dias 9 a 11 de Outubro.

A vitória da candidatura dos Açores já foi classificada pela APAVT como "uma oportunidade única de promoção desta região e do País no mercado turístico britânico", cujo crédito o presidente da Associação, Pedro Costa Ferreira, partilhou não só com o Governo Regional dos Açores como, também, com a SATA, agentes de viagens e hoteleiros dos Açores.

"O apoio do Governo Regional dos Açores, e em particular o empenho pessoal do Secretário Regional do Turismo e Transportes dos Açores, Vitor Fraga, foi absolutamente determinante para o sucesso desta candidatura, na qual temos vindo a trabalhar há vários meses", declarou Pedro Costa Ferreira, acrescentando de seguida também ter "de destacar o compromisso que a SATA assumiu desde a primeira hora com este projecto, bem como o apoio dos hoteleiros e agentes dos Açores envolvidos num desafio que é, afinal, de todos".

A relevância da ABTA no mercado das viagens britânico foi recentemente atestada por uma pesquisa que indica que cerca de três quartos (73%) dos britânicos reconhece o seu logo e faz "associações positivas" com a sigla.

A pesquisa, realizada pela empresa Arkenford, apontou que 73% dos britânicos consideram essencial que as agências onde reservam as suas viagens sejam membros da ABTA.

 

Clique para mais notícias: APAVT

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Clique para mais notícias: Açores

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

CVC ultrapassou os cinco milhões de passageiros embarcados no primeiro semestre

14-08-2018 (17h56)

O grupo brasileiro CVC Corp, que engloba agências de viagens e operadores turísticos e vende viagens de lazer e corporativas, superou no primeiro semestre os cinco milhões de passageiros embarcados, com um aumento em 30,8% em relação ao período homólogo de 2017.

CVC agrega mais uma participada b2b com a compra do consolidador Esferatur

14-08-2018 (16h26)

A brasileira CVC, maior grupo latino americano de organização e comercialização de viagens, anunciou hoje um reforço do seu portefólio de produtos e serviços para o mercado profissional através da aquisição da Esferatur, classificada como um dos maiores consolidadores do mercado brasileiro, com vendas de bilhetes de avião na ordem de 1,8 mil milhões de reais (cerca de 407 milhões de euros).

Lusanova Cruzeiros já vende cruzeiros Star Clippers

08-08-2018 (17h20)

A Lusanova Cruzeiros, que em finais de Julho começou a vender cruzeiros da Carnival Cruise Line, anunciou hoje que também passou a ser agente de vendas da Star Clippers.

Soltrópico lança campanha para férias em Setembro em Cabo Verde, Tunísia e Porto Santo

08-08-2018 (12h58)

A Soltrópico lançou uma campanha de vendas para férias em Setembro em alguns dos seus destinos programados com voos charter, designadamente as ilhas cabo-verdianas do Sal e da Boavista, Monastir, na Tunísia, e Porto Santo.

Operadores marítimo-turísticos dos Açores queixam-se de falta de capacidade na SATA

07-08-2018 (15h08)

A SATA “está a penalizar” a actividade dos operadores marítimo-turísticos, por falta de capacidade para a procura que há nomeadamente para mergulho com jamantas ao largo da ilha de Salta Maria, que empresários locais garantem estar a afirmar-se como alternativa às Maldivas.