Amadeus arrasa IATA quanto aos GDS e ao NDC

11-06-2019 (18h05)

Foto: Amadeus
Foto: Amadeus

A empresa de tecnologia Amadeus, líder mundial em processamento de reservas de voos por agências de viagens, arrasa a IATA em matéria de desenvolvimento de novos standards de distribuição, a New Distribution Capability (NDC), numa resposta a críticas da associação das companhias de aviação que considerou inexactas, enganadoras e decepcionantes.

O que nasce torto tarde ou nunca se endireita — é uma das mensagens que ressalta da posição do Amadeus, que em resposta à alegação pela IATA de que tem atrasado o desenvolvimento do NDC estabelece como ponto de partida que “o NDC foi desenvolvido pela IATA sem a participação de qualquer agência ou GDS”.

“Isto poderá explicar porque as agências de viagens, que não foram consultadas na criação do NDC não estão convencidas dos benefícios de um standard desenvolvido para a sua utilização sem o seu input”, remata a primeira alegação do Amadeus, que destaca logo de seguida que as primeiras 16 versões do standard do NDC publicadas pela IATA não tinham funcionalidades essenciais para os agentes de viagens, como, por exemplo, alterações de bilhetes e processamento de reembolsos.

Só na versão 17.2 publicada pela IATA no último trimestre de 2017 é que esses “funcionalidades mínimas” foram incluídas, pelo que até essa data não era nem operacionalmente viável nem economicamente razoável para qualquer fornecedor tecnológico investir recursos significativos num standard incompleto, “nem fazia sentido para uma agência de viagens utilizar uma solução tecnológica que não tinha essas funcionalidades mínimas”.

O Amadeus acrescenta que o resultado foi que só a partir de inícios de 2018 as agências de viagens poderiam utilizar o NDC de forma significativa, realçando que, juntamente com outros GDS e fornecedores de tecnologia, tem ajudado ao desenvolvimento de soluções baseadas em NDC que efectivamente funcionam para as companhias de aviação, agentes de viagens e toda a indústria.

E acrescenta que a preocupação da IATA quanto à “falta de tracção” do NDC a causa mais provável é estar relacionada com a abordagem unilateral, apesar da qual, frisa o Amadeus, não deixou de comunicar o seu feedback à IATA “em numerosas ocasiões”.

O Amadeus, “recentemente, por exemplo, identificou 70 bugs no draft da versão de 2019 dos standards NDC publicados pela IATA em Dezembro de 2018 (v. 19.1)”, adiantou a tecnológica na sua resposta à IATA, acrescentando que tão elevado número de bugs evidencia que “há ainda muito trabalho por fazer antes que o standard seja estável e apropriado para a finalidade e antes que a adopção generalizada seja exequível”.

“O facto de a IATA não reconhecer a existência de tais problemas e não dar publicamente o crédito ao valor da contribuição do Amadeus é decepcionante”, acrescenta o documento em que a tecnológica responde à apresentação que a associação das companhia de aviação fez no Aviation Consumer Protection Advisory Committee (ACPAC), em 4 de Abril.

Continua:

GDS representam menos de um terço das reservas de voos, Amadeus 

Amadeus já tem capacidade para processar 75 mil transacções por segundo

 

Clique para mais notícias: Amadeus

Clique para mais notícias: IATA

Clique para mais notícias: Agências&Operadores

Clique para mais notícias: Aviação

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Magnet junta companhias aéreas e agentes de viagens em Lisboa, Porto e Coimbra

19-09-2019 (16h53)

A Magnet vai organizar em Outubro, em Lisboa, Porto e Coimbra, um evento para juntar agentes de viagens e as principais companhias de aviação que operam em Portugal.

Solférias leva agentes de viagens portugueses à Tailândia

18-09-2019 (18h16)

O operador turístico Solférias levou um grupo de agentes de viagens portugueses a conhecer a Tailândia, um dos novos destinos da sua programação, proporcionando-lhes um circuito que incluiu praias, cidade e natureza.

Gigante europeu da operação turística recorre à protecção de credores nos tribunais dos EUA

17-09-2019 (16h21)

O grupo Thomas Cook, tradicionalmente considerado o segundo maior da Europa na operação turística e agência de viagens, solicitou ontem a protecção de credores, o chamado Chapter 15, num tribunal de Nova Iorque, que o protege de tentativas de cobranças por parte de credores dos Estados Unidos.

OTA de hotéis Amoma cessa e culpa “comparadores de preços”

16-09-2019 (11h08)

A agência de reservas hoteleiras Amoma, em www.amoma.com, que no ano passado teve vendas superiores a 500 milhões de euros, anunciou que cessa actividade e não terá como assegurar o respeito pelas responsabilidades contraídas para com os clientes.

Agências de viagens reclamam protecção dos consumidores perante falências de companhias aéreas

10-09-2019 (19h45)

As agências de viagens e turismo reafirmaram hoje a exigência de protecção dos consumidores face a falências de companhias de aviação, que em dois anos já são 36, reclamando mais "ambição" por parte da União Europeia e dos legisladores nacionais.

Noticias mais lidas