Rio de Janeiro faz o pleno Copa em 2014 e Olimpíadas em 2016

03-10-2009 (00h33)

“Grande oportunidade” para o turismo — salienta Embratur

O Rio de Janeiro foi escolhido pelo Comité Olímpico Internacional para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, fazendo assim com que o Brasil atinja o pleno das candidaturas a eventos desportivos de âmbito mundial, depois de ser designado como o País organizador do Campeonato Mundial de Futebol de 2014.




“A realização dos Jogos Olímpicos, antecedidos por uma Copa do Mundo de Futebol, além de um enorme legado de infra-estrutura que tem impacto directo no turismo, significará pelo menos quatro anos de uma mega campanha publicitária, que transformará a imagem do país. É uma grande oportunidade de promoção e vamos mostrar o mundo que, além de belas praias, diversidade cultural e natural, temos também infra-estrutura para nos consolidarmos como um dos grandes destinos de eventos internacionais do mundo”, afirma a presidente da Embratur, Jeanine Pires, citada pelo “Panrotas”, parceiro do PressTUR no Brasil.
“É um dia de muita comemoração para todos nós brasileiros, que pela primeira vez organizaremos um dos mais importantes eventos de todo o planeta. As Olimpíadas vão proporcionar uma exposição e promoção não só da cidade, mas de todo o Brasil no exterior. Será um ganho incalculável para nosso turismo e nossa economia em longo prazo”, comentou por seu turno o ministro brasileiro do Turismo, Luiz Barretto, citado em comunicado.
“Rio, cidade maravilhosa e olímpica em 2016” é o título que abre hoje a toda a largura da página principal o site de “O Globo”, no qual se destaca ainda que “pela primeira vez, uma cidade da América do Sul vai sediar os Jogos Olímpicos” e apresenta fotos da festa em Copacabana, bem como da “emoção na areia”, nomeadamente do “choro da vitória” do Presidente Luís Inácio “Lula” da Silva.
O jornal destaca ainda a afirmação por Lula da Silva de que “a alma generosa do brasileiro vai fazer a mais extraordinária olimpíada que o mundo já viu”.
O Rio de Janeiro foi escolhido em alternativa a Chicago, Tóquio e Madrid, e torna-se a primeira cidade da América do Sul a sediar os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016.
A primeira votação excluiu Chicago, a segunda deixou Tóquio de fora e na terceira e derradeira o Rio de Janeiro, que tinha recebido 26 votos na primeira (menos dois que a capital espanhola) e 46 na segunda, superou Madrid por 66 votos face a 32.
“Queria convidar a todos a uma Olimpíada em minha cidade no ano de meu centésimo aniversário” - disse João Havelange, a quem coube iniciar a apresentação da candidatura do Rio de Janeiro.
“Escolha do Rio é como marcar golo em Copa”, é uma das frases escolhidas pelo portal do “Estadão”, que destaca ainda “cidade brasileira vence a disputa contra Chicago, Tóquio e Madrid e será a primeira a sediar o evento na América do Sul”.
“Assim, o Brasil receberá os dois maiores eventos do desporto mundial num período de dois anos, porque também será palco da Copa de 2014”, refere também a notícia de o “Estadão”, na qual se refere que “o Rio defendeu a tese de que deveria ser escolhida pelo ineditismo do local e pelo positivo momento económico”, concluindo com a afirmação pelo Presidente Lula da Silva de que “os Jogos Olímpicos no Rio serão inesquecíveis, pois estarão cheios da magia e da paixão do povo brasileiro".
A notícia do “Estadão” também assinala que a vitória do Rio de Janeiro “marca mais de uma década de trabalho e tentativas do País — em especial de Carlos Arthur Nuzman — para trazer o evento ao País” a que se soma um investimento de mais de 150 milhões de reais em campanhas.
A notícia diz também que a candidura do Rio de Janeiro contou com as presenças em Copenhaga de figuras como o Presidente Lula, Pelé, do ex-presidente da Fifa João Havelange, do presidente do Banco Central (BC) Henrique Meirelles, do governador do Rio, Sérgio Cabral, do prefeito do Rio, Eduardo Paes, e do presidente do Comité Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman.

Olimpíadas vão acelerar modernização
de hotéis e outros equipamentos turísticos

O comunicado do Ministério brasileiro do Turismo sobre a escolha do Rio avança que o investimento público e privado para a organização das Olimpíadas ascenda a 28,8 mil milhões de reais (cerca de 11,1 mil milhões de euros) e refere que um estudo encomendado pelo Ministério do Desporto prevê que o evento gere mais de dois milhões de empregos no País até 2027: 120 mil empregos por ano até a realização dos Jogos e 130 mil anuais a partir de 2016.
“O grande apoio popular e o legado deixado na cidade após os Jogos Pan-Americanos de 2007 foram fundamentais para convencer os membros do Comité Olímpico Internacional a apostar na cidade para a organização das Olimpíadas”, diz ainda o comunicado do Ministério brasileiro do Turismo, no qual se refere ainda que a realização dos Jogos Olímpicos vai impulsionar “programas de qualificação de mão-de-obra” e “acelerar projectos de modernização de hotéis, bares, restaurantes e pontos turísticos da cidade”.
Um comunicado divulgado pelo Embratur destaca, por sua vez, que sendo o Rio de Janeiro uma cidade famosa “por possuir algumas das paisagens naturais mais belas do mundo, a Cidade Maravilhosa, como é chamada pelos brasileiros, fará desta edição dos jogos um evento sensacional”, por “possuir todos os requisitos para sediar um evento de grande porte e importância como uma Olimpíada” e “por oferecer aos atletas a oportunidade de realizar as suas provas olímpicas num cenário exuberante, e atrair turistas que, igualmente, poderão desfrutar da beleza e dos segmentos turísticos do Rio de Janeiro e também de outras cidades do Brasil”.
A informação da Embratur destaca ainda que “a decisão do COI [Comité Olímpico Internacional] teve em consideração parâmetros como desenvolvimento económico, infra-estruturas, segurança e alojamento, além da beleza do local e a alegria do povo carioca, que apoiou a candidatura do Rio em 85%”.
A Embratur destaca ainda que “sediar uma Olimpíada será, para o turismo brasileiro, uma grande oportunidade para mostrar o forte potencial turístico que possui” e cita uma pesquisa recente da empresa ORC Worldwide segundo a qual “a combinação entre custo, efectividade, paixão, hospitalidade, paisagens e clima tornam o Rio de Janeiro o local ideal para os turistas que acompanharem os Jogos Olímpicos”.
O comunicado destaca ainda conclusões de outros estudos que mostram que “o Rio de Janeiro é uma cidade que merece sediar eventos como este”, designadamente uma pesquisa da revista norte-americana “Forbes”, que a elegeu “a cidade mais feliz do mundo” e um estudo das universidades de Michigan e da Califórnia que lhe atribuiu o título de “cidade mais cordial do mundo”, a que se somou a eleição do Cristo Redentor como uma das novas Sete Maravilhas do Mundo Moderno.
Informação da Embratur também assinala que o Rio de Janeiro já dispõr de “boa parte das instalações” para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos 2016, contando como “verdadeiras obras-primas”, como “o magnífico Estádio João Havelange (para as competições de atletismo em 2016), o Centro Aquático Maria Lenk, a Arena Olímpica do Rio (para provas de ginástica e basquete em cadeiras), o Velódromo Olímpico do Rio, o Centro Nacional de Equitação e o Centro Nacional de Tiro Dessportivo”.
A Embratur também informou que “o Maracanã, o maior estádio do mundo, será fechado para obras e melhoramentos durante dois anos, para que as áreas em redor do monumento desportivo sejam renovadas, e com melhorias significativas nas ligações de acessos e transporte”, referindo que “este novo projecto de infra-estruturas será usado já no Campeonato Mundial de Futebol em 2014”.
A Embratur assinalou ainda também o Centro Olímpico de Treino (COT), onde se encontra parte das instalações construídas para o Pan 2007, entrou em fase de desenvolvimento e será o coração das Olimpíadas 2016 e garantiu que “na Vila Olímpica, as acomodações serão de alta qualidade, próximas dos locais de competição e treino, para evitar desgaste aos atletas”.
“A Vila será edificada nas margens de um lago, com um parque próprio, praia privativa e locais exclusivos de treino”, acrescenta a informação.

Clique para mais: Brasil
Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Soltrópico e Abreu anunciam charter para o Fim de Ano na Bahia

18-07-2018 (17h59)

A Soltrópico e a Abreu lançaram uma operação charter para o Réveillon na Bahia, com partida de Lisboa no dia 26 de Dezembro e regresso a 2 de Janeiro.

Operadores turísticos portugueses lançam charters para Fim de Ano no Brasil

18-07-2018 (10h34)

Os operadores turísticos Solférias, Exoticoonline, Sonhando e Alto Astral acabam de lançar operações charter para o Réveillon no Brasil, com quatro partidas e um total de 1.180 lugares para Salvador, Natal e Fortaleza.

Observação de baleias na Bahia deve atrair cerca de 15 mil turistas

16-07-2018 (16h06)

O estado nordestino brasileiro da Bahia prevê receber durante a época de observação de baleias, entre Julho e Outubro, cerca de 15 mil turistas.

TAP tem voos de Lisboa para Belém do Pará desde 318 euros, mas anuncia 383

29-05-2018 (13h23)

O website da TAP mostra que a companhia tem voos de Lisboa para Belém do Pará desde 318 euros, no mês de Novembro, embora na homepage anuncie ter voos desde 383 euros.

Solférias lança programa para o Tivoli Praia do Forte com espectáculo de Ivete Sangalo

11-05-2018 (15h57)

O operador turístico Solférias lançou para o mercado um programa para férias no Tivoli EcoResrot Praia do Forte, na Bahia, Brasil, com um espectáculo ao vivo de Ivete Sangalo.