Hurghada: no Mar Vermelho e no deserto

07-06-2019 (16h19)

Uma antiga vila piscatória, há muito convertida num dos principais destinos turísticos do Mar Vermelho, Hurghada tem todos os ingredientes para umas férias de Verão. Praias e ilhas, corais e peixes coloridos. Em contraste, o deserto para aventuras motorizadas, todo-o-terreno.

O nosso guia para esta etapa, Karim Tarek, conta-nos que Hurghada passou a ser uma vila piscatória quando começou a deixar de haver peixe no Nilo. Uma nova fase começou com a descoberta de petróleo, que atraiu mais gente de fora do Egipto. Esgotada a matéria-prima, a cidade converteu-se em destino turístico na década de 80 do século passado, graças às suas praias e à riqueza do fundo do mar.

Actualmente, os melhores recifes estão acessíveis apenas de barco, e a oferta de excursões é imensa. Podem ser viagens de umas horas ou todo o dia, com óculos, tubo, barbatanas e almoço incluído, com várias paragens para mergulhar.

As ilhas Giftun são um dos locais mais próximos de Hurghada para desfrutar de um bom dia de praia e ver os corais e os peixes mais coloridos que possamos imaginar.

O nosso programa faz-nos sair cedo do hotel, às 8h, mas o nome do destino promete. Chama-se Paradise Island e é onde passamos uma parte da manhã a descontrair na areia, à sombra dos chapéus de palha, refastelados em colchões e puffs a ver o azul incrível do mar.

Antes do almoço ainda voltamos ao barco que nos trouxe de Hurghada e que agora nos leva a uma zona para snorkeling. De óculos, tubo e barbatanas, mergulhamos e seguimos um guia dentro de água que nos vai mostrando os corais e a grande variedade de peixes que por ali vagueia.

De volta à ilha, almoçamos no buffet a ementa que tem acompanhado quase toda a viagem. O delicioso pão egípcio a acompanhar babaganoush e humus, os legumes salteados, frango grelhado e bifinhos de vaca com cebola e pimentos.

Antes de regressar a Hurghada, ainda há tempo para relaxar um pouco mais no areal, fazer uma massagem ou assistir aos espectáculos de dança.

Por volta das 17h já estamos no nosso hotel, o resort Prima Life, em Makadi, uma das três cidades desta região turística, além de Hurghada e El Gouna. A região tem actualmente 85 mil quartos de hotel e muitos outros em construção, contou-nos Ali Bekhit, da Travel Ways, uma empresa egípcia que recebe turistas portugueses, organiza excursões e transferes, em parceria com operadores turísticos portugueses.

Depois de um dia de praia, as preferências para o jantar tendem a inclinar-se para as comidas do mar e, nesse caso, o restaurante Star Fish é uma opção, com camarões, calamares e peixe frito, sem que deixe de haver, obviamente, o clássico pão egípcio e babaganush.

Há vários bairros para conhecer em Hurghada. Um deles, na zona Norte, é o bairro de Ad Dahar, menos turístico e com ruas e mercados movimentados, sobretudo durante a noite, quando a temperatura baixa.

Os passeios nocturnos podem também incluir a Marina de Hurghada, com várias opções para jantar, beber um cocktail ou dançar toda a noite.

Contudo, há que resistir à animação nocturna e guardar energias para o deserto, que no dia seguinte temos agendada uma excursão em moto4.

O objectivo era visitar uma aldeia beduína, conhecer os seus costumes e fazer um passeio de camelo, mas o trajecto escolhido revelou-se demasiado acidentado, com demasiados solavancos para a tolerância do grupo, e depois de quase uma hora de percurso voltamos para trás.

Há outros percursos mais suaves e outros veículos mais cómodos para alcançar os mesmos fins, mas, ainda assim, da experiência fica a paisagem desértica, ampla e enquadrada pela cordilheira ao fundo.

Há tempo ainda para mais uma sessão de snorkeling, desta vez em Sharm El Naga, uma nova área em desenvolvimento em Hurghada, um novo paraíso para mergulhadores, com corais e peixes de cores vivas, onde perdemos a noção do tempo, debaixo de água, a ver todos os tons de azul, amarelo, roxo, laranja.

Regressamos ao hotel para a última noite, enquanto o sol se põe nas montanhas. Relembramos pirâmides, templos e múmias, a antiguidade de Luxor e um Cairo que é realmente excitante, como cantava a banda portuguesa Táxi. Pensamos também nos mergulhos no mar, nos peixes coloridos e nas paisagens do deserto, áridas e a perder de vista. É um destino para muitos sonhos, o Egipto.

 

por Luís Canto

O PressTUR viajou a convite dos operadores Solférias e Soltrópico

 

Para ver mais clique:

 

Egipto, um destino para muitos sonhos

Share
Tweet
+1
Share
Comentários
Escrever comentário

Outras Notícias

Sonhando leva grupo de agentes de viagens a São Tomé e Príncipe

19-06-2019 (12h43)

O operador turístico Sonhando organizou uma famtrip, com apoio da STP Airways e dos grupos hoteleiros HBD e Pestana, para dar a conhecer as ilhas de São Tomé e do Príncipe, e o Ilhéu das Rolas, a um grupo de dez agentes de viagens.

Sonhando leva agentes de viagens ao Príncipe (1/2)

19-06-2019 (12h25)

O operador turístico Sonhando organizou uma famtrip a São Tomé e Príncipe, com apoio da STP Airways e dos grupos hoteleiros HBD e Pestana, cujo itinerário deu a conhecer algumas unidades hoteleiras na Ilha do Príncipe.

Sonhando leva agentes de viagens ao Príncipe (2/2)

19-06-2019 (12h13)

O operador turístico Sonhando organizou uma famtrip a São Tomé e Príncipe, com apoio da STP Airways e dos grupos hoteleiros HBD e Pestana, cujo itinerário no Príncipe incluiu uma caminhada até à Cascata Quê Pipi, um passeio de barco e uma visita à Praia da Ribeira Izé.

Sonhando leva grupo de agentes de viagens a São Tomé

19-06-2019 (11h53)

O operador turístico Sonhando organizou uma famtrip a São Tomé e Príncipe, com apoio da STP Airways e dos grupos hoteleiros HBD e Pestana, com itinerários pelo Norte e Sul da Ilha de São Tomé.

Sonhando leva grupo de agentes de viagens ao Ilhéu das Rolas

19-06-2019 (11h38)

O itinerário entre a cidade de São Tomé e Ponta Baleia, onde se embarca para o Ilhéu das Rolas, é feito em estradas que pecam pelas suas condições, mas compensam pela Natureza envolvente. Uma vez em Ponta Baleia, a travessia de barco, consoante as condições climatéricas, tem a duração de cerca de 20 minutos até ao cais em frente à recepção do 4-estrelas Pestana Equador. O grupo foi acompanhado pela directora de clientes dos hotéis Pestana em São Tomé e Príncipe, Lúcia Dias.

Noticias mais lidas